Maria Cecília

Infantil Serrolândia/Ba

SONETO DE CRIANÇA


Quando quiseres olhar o infinito,
nem precisas andar, pois andar cansa;
busca em volta o rosto mais bonito,
e encontrarás um riso de criança.


Estando o mundo cinzento e aflito
e se buscares de volta a tua dança,
repousa na criança teu olhar contrito,
e descobrirás um fio de esperança.


Sendo criança, de novo, a tua vida
será a fonte de força renascida,
porque na paz reside a fortaleza.


Em verdade te digo francamente:
Quem não tornar-se criança novamente,
jamais verá o reino da pureza.